Autenticação






Dezembro 2014

Veolia inicia desmantelamento de Jeanne d'Arc

Veolia inicia desmantelamento de Jeanne d'ArcApós ter ganho o concurso público europeu para o desmantelamento completo das embarcações Jeanne d’Arc e Colbert, a Veolia iniciou as operações de desmantelamento do antigo navio Jeanne d’Arc no Grande Porto Marítimo de Bordéus (GPMB).

O ciclo de trabalhos de 32 meses resulta de um investimento de 11.500 milhões de euros e incluirá a despoluição, desconstrução, valorização representando a reciclagem de mais de 90% do antigo navio de treino da Marinha Nacional de França. Está neste momento a ser implementada a despoluição, sendo que serão posteriormente necessários dez meses para remover completamente o amianto do casco antes de dar início à desconstrução completa do navio de 240 metros de comprimento, 35 metros de largura e 15 metros de altura, que levará seis meses para o corte, preparação, recuperação e eliminação de materiais.

“Estamos a apontar para uma taxa de recuperação de mais de 90% de materiais” anunciou Pascal Tissot, CEO da Bartin Recycling Group, filial da Veolia, responsável pela operação de desconstrução. “Incluindo sucata, metais não-ferrosos, resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos, cabos, madeiras." Já os resíduos não recicláveis, como amianto e outros resíduos serão enviados para as respectivas unidades de tratamento e valorização.

Depois do casco de 9.000 toneladas do Jeanne d’Arc, será a vez do casco de 8.500 toneladas do navio de guerra Colbert de iniciar o mesmo processo de desconstrução e reciclagem.

mbos os trabalhos são demonstrativos da capacidade de mobilização da experiência da Veolia numa actividade industrial em franca expansão. "Estamos presentes no desmantelamento de navios, mas também em plataformas offshore, aeronaves e comboios", afirmou Bernard Harambillet, CEO Veolia França Reciclagem e valorização de resíduos. “O nosso objectivo é propor soluções completas, agindo "
Ler mais/Fonte: ambientemagazine.com

 

OCEANO XXI reconhecida como Entidade Pública

OCEANO XXI reconhecida como Entidade PúblicaA Oceano XXI – Associação para o Conhecimento e Economia do Mar, assumiu o estatuto de Associação de Utilidade Pública, por Despacho n.º 12762/2014, publicado no Diário da República, 2ª série, n.º 202 de 20 de outubro de 2014, decisão que a sua Direção saúda vivamente.

Segundo a Presidência do Conselho de Ministros, pelo Decreto-lei n.º 460/77 de 7 de novembro de 1977, uma pessoa coletiva é considerada de Utilidade Pública “… caso prossiga fins de interesse geral, ou da comunidade nacional ou de qualquer região ou circunscrição, cooperando com a Administração Central ou a Administração Local, em termos de merecerem da parte da Administração a declaração de “Utilidade Pública.” (in Diário da República, 1ª série, n.º 257 de 7 de novembro de 1977).

esde 2009 que a Oceano XXI, entidade gestora do Cluster do Conhecimento e da Economia do Mar, mantém ligações às Autoridades Portuguesas e assume o papel de uma das maiores promotoras da cooperação nacional e internacional, bem como intersectorial, entre diversas entidades públicas e privadas, centros de I&D e empresas ou associações empresariais.
Ler mais/Fonte: noticiasdomar.pt

 

Economia azul é o desafio para as próximas décadas

Economia azul é o desafio para as próximas décadasInserido no Dia Nacional do Mar, a Biblioteca Municipal Rocha Peixoto recebeu a Conferência "Os desafios do Mar", por Miguel Marques, Partner da PwC e responsável pelo centro de competências da consultora para assuntos de economia do mar, na segunda-feira, dia 17, às 18h00.

Miguel Marques defende que a economia azul desempenhará um papel fundamental no crescimento dos países costeiros e será vital para aumento do emprego.

Miguel Marques sustenta que existem inúmeras oportunidades na economia do mar, em particular, nas indústrias relacionadas com transporte, portos e logística, energia, alimentação e abastecimento de água, bem como no turismo. No entanto, mais trabalhadores têm que ser formados e treinados nas profissões marítimas. Se devidamente aproveitado, o mar será vital na redução do desemprego.

Dada a sua localização privilegiada junto à costa marítima, a Póvoa de Varzim encontra-se no foco do grande desafio nacional das próximas décadas: o desenvolvimento da economia azul.

A Biblioteca Municipal desenvolveu ainda outros eventos na Póvoa de Varzim, entre 14 e 17 de novembro, comemorativos do Dia Nacional do Mar: a sessão “O MAR em versos” e a Mostra de livros “Conhecer o Mar” (no Diana Bar).
Ler mais/Fonte: cm-pvarzim.pt

 

 

Produtos

banner_facebook_web