Autenticação






Dezembro 2017

Os Plásticos nos Oceanos - Ação internacional e europeia

Os Plásticos nos Oceanos - Ação internacional e europeiaTeve lugar no passado dia 8 de Novembro de 2017, em Bruxelas, por iniciativa do Intergrupo 'Mudança Climática, Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável' do Parlamento Europeu e do Gabinete Regional Europeu da IUCN, com o patrocínio do Principado do Mónaco, um Colóquio subordinado ao tema 'Marine Plastics need European Action'.

O objetivo era debater o problema dos resíduos plásticos existentes nos mares e oceanos e as implicações de tal situação a nível ambiental, económico e de saúde pública, tudo no contexto do Plano de Ação europeu para a economia circular e da prevista 'Estratégia sobre Plásticos'.

Participaram neste Colóquio o Dr. Fernando Correia Cardoso, Assessor Jurídico na Direcção-Geral 'Assuntos Marítimos e Pescas' da Comissão Europeia e membro da International Association for the Law of the Sea, o Doutor Fausto Brito e Abreu, Director-Geral de Política do Mar de Portugal, e o Dr. Frederico Cardigos, Coordenador do Gabinete de Representação dos Açores em Bruxelas. No Colóquio estiveram presentes representantes das Nações Unidas, de instituições europeias, de governos nacionais, da sociedade civil e do sector privado.

O Colóquio consistiu essencialmente num painel que discutiu a dimensão do problema e as respostas que podem ser dadas. Os pontos mais salientes das intervenções foram os seguintes: no âmbito internacional, o impacto económico do plástico para a biodiversidade marinha e para as frotas de pesca necessita de ser encarado numa perspetiva simultaneamente global, nacional e regional, através de parcerias fortes com o sector privado e com base no melhor conhecimento científico e de natureza técnica. Para tal, torna-se necessário criar incentivos de regulação e económicos, reduzir a produção de plásticos não recuperáveis e de uso único, e comprometer os cidadãos em geral. As Nações Unidas têm promovido a campanha 'Clean Seas' e organizam a Assembleia Ambiental, em dezembro do corrente ano, em Nairobi, nela incluindo o tema 'Poluição no Mar'. No âmbito europeu, foi realçado o espectro de instrumentos legislativos existente sobre resíduos e plásticos, que em muito pode contribuir, se devidamente aplicado, para minorar o problema.
Ler mais/Fonte: revistademarinha.com

 

Em 2018 a Madeira recebe nova regata

Em 2018 a Madeira recebe nova regataA regata Madeira 950 Ocean Race é o prestigiante evento internacional de vela que chegará aos mares da região no próximo ano.

Com inicio em junho, a viagem de ida e volta entre a cidade italiana de Livorno e o Funchal, terá um total de 3.000 milhas náuticas, cuja organização faz questão de escolher este destino para acolher o evento. Esta primeira edição da regata é destinada às velozes embarcações da Classe 950, mas também poderão participar as embarcações da Classe 40 e os Sun Fast 3600 do armador francês Jeanneau.

Nesta viagem pelo Mar Mediterrâneo e pelo Oceano Atlântico, estão previstos diversas passagens obrigatórias, com direito a prémios, nomeadamente pela Ilha de Porquerolles (Prémio França), a ilha de Maiorca (Prémio Maiorca), Gibraltar (Prémio Colunas de Hércules) e a chegada a Funchal, onde o vencedor irá conquistar o ‘Prémio Oceano’. Já no regresso, as tripulações deverão passar por Ibiza (Prémio Ibiza), Bocas de Bonifácio na Sardenha (Prémio Bonifácio) e por fim, na chegada, a Riva di Traiano (Roma), onde será entregue o Troféu Madeira 950 Open Race..
Ler mais/Fonte: visitmadeira.pt

 

Volvo Ocean Race Aumenta a pressão!

Volvo Ocean Race Aumenta a pressão!Após mais um fim de semana tranquilo para os que estão em terra, aproxima-se a batalha final do Atlântico Sul, com a frota da Volvo Ocean Race a menos de 1500 milhas da Cidade do Cabo. Chegou a hora dos navegadores e dos skippers encontrarem a rota certa, e os ventos de feição para chegar ao Cabo. Toda a frota ruma agora para este, com o Mapfre a liderar tendo o Brunel por perto. Com o aumento do vento também sobem as velocidades, o Vestas 11th Hour Racing persegue o duo da frente e vai a fazer 20/25 nós, com 30 de vento.

Na cauda do pelotão, o Scallywag e o Turn The Tide On Plastic continuam um verdadeiro “match racing” no Atlântico Sul, como escreveu a skipper Dee Caffari “Finalmente conseguimos separar-nos do Scallywag por algumas horas e estivemos cerca de 30 milhas afastados, mas acabamos por nos cruzar novamente por estibordo. É incrível como estamos tão perto tanto tempo!.

Foi uma prova de match racing no Hemisfério Sul, “ disse Caffari “Os que estão mais a sul estão mais rápidos, como previsto, mas todos nós estamos com boa pressão de vento, e o tamanho das ondas também aumentou com o vento. É sempre complicado quando navegamos à noite, pois tudo parece muito pior no escuro, é tudo mais fácil até começar a cair a noite. “A Cidade do Cabo parece que se está a aproximar , e vamos manter este rumo por um bom bocado.”
Ler mais/Fonte: nauticapress.com

 

 

Produtos

banner_facebook_web