Autenticação






Janeiro 2013

Sines recebe megacarrier em viagem inaugural

Sines recebe megacarrier em viagem inauguralO Terminal XXI do Porto de Sines recebeu, no dia 18 de dezembro, mais um porta-contentores de última geração em viagem inaugural. Tratou-se do MSC Katie que está inserido no Lion Service, o serviço direto que liga semanalmente o Extremo Oriente a Sines.

Este megacarrier foi construído nos estaleiros da STX Offshore e Shipbuilding, na Coreia do Sul, tendo entrado em operação em Novembro passado. Apresenta um comprimento fora-a-fora de 366 metros e boca de 48,4 metros, o que lhe confere uma capacidade para transportar 12.400 TEU, exigindo um calado máximo de 15,5 metros.

Recorde-se que navios com estas características exigem infraestruturas portuárias com grande capacidade, tanto no que respeita a profundidade como a equipamentos que permitam efetuar a operação portuária com elevados índices de produtividade, como é o caso do Porto de Sines. Conforme prática habitual, a Administração do Porto de Sines assinalou esta escala com a oferta de uma placa alusiva à ocasião ao comandante do navio. Ler mais/Fonte: portodeportugal.pt

 

Fragata «Libertad» regressa à Argentina em Janeiro

Fragata «Libertad» regressa à Argentina em JaneiroO governo da Argentina anunciou que a fragata 'Libertad', retida no Gana há dois meses e meio, regressa ao porto de Buenos Aires, a capital do país, no dia 9 de Janeiro.

O ministro da Defesa argentino, Arturo Puricelli, disse em uma coletiva de imprensa que "o retorno da fragata deverá acontecer a curto prazo". Já o chanceler da Argentina, Héctor Timerman, disse que o acórdão unânime do Tribunal do Mar, que obrigou Gana a liberar o navio, é "um incentivo ao povo e ao Governo argentinos".

"A liberação incondicional significa que a Argentina não deve pagar fiança, caução ou qualquer garantia", disse o ministro, em alusão aos US$ 20 milhões necessários para suspender o embargo que o governo se recusou a pagar.
Ler mais/Fonte: expresso.sapo.pt

 

IBM vai ajudar Faro a potenciar a Economia do Mar no concelho e região

IBM vai ajudar Faro a potenciar a Economia do Mar no concelho e regiãoFaro vai ser a primeira cidade portuguesa a entrar no restrito grupo de cidades do Smarter Cities Challeng da IBM, que procura potenciar o desenvolvimento sustentável de núcleos urbanos em todo o mundo. Um projeto ligado à economia do mar apresentado pelo município algarvio mereceu a confiança da multinacional, que vai trazer especialistas em diversas áreas à região para ajudar a dinamizar projetos públicos e empresariais neste setor, anunciaram a autarquia farense e a IBM Portugal numa Conferência de Imprensa conjunta que teve lugar hoje, terça-feira.

A nível mundial, há apenas cem cidades que vão beneficiar do programa da IBM. Faro faz parte das 31 cidades escolhidas no concurso este ano, o terceiro desde o nascimento da iniciativa, juntando-se às 64 que já antes beneficiavam do apoio da IBM, que no global ascende aos 50 milhões de dólares. Em 2012 foram escolhidas cinco cidades europeias, entre as quais Faro. O projeto liderado pela Câmara de Faro envolve diversos parceiros regionais, públicos e privados, numa plataforma que extravaza as fronteiras do municipio que a lidera. O apoio que a IBM vai dar a Faro está avaliado em 400 mil dólares e consistirá na contratação de especialistas, desenvolvimento de estudos, cedência de conhecimento e no acompanhamento dos diversos projetos que surjam no âmbito da iniciativa, que não terão de ser exclusivamente de empresas da capital algarvia.

Como ilustrou o presidente da IBM Portugal António Raposo de Lima, trata-se de trazer «um conjunto de especialistas, de melhores práticas e propriedade intelectual que possam ser colocadas ao serviço daqueles que quiserem criar valor» em atividades ligadas à economia do mar. Logo de início, a IBM trará à região um grupo de especialistas que, ao longo de três semanas, vai «avaliar, analisar e recomendar melhorias estruturais na cidade que a tornem um lugar melhor para trabalhar e viver». As empresas também podem aproveitar para perceber como podem tornar-se mais eficientes. Do trabalho efetuado por esta equipa, «resultam, normalmente, projetos concretos», tendo em conta a experiência nas outras cidades que beneficiam do programa. Iniciativas que são acompanhadas pela IBM, que ajudará não só numa fase inicial, que até pode passar «por provas de conceito», mas também acompanhará a sua evolução, posteriormente. «O resultado final depende muito daquilo que os atores locais quiserem fazer, de até onde querem chegar», acrescentou.
Ler mais/Fonte: sulinformacao.pt

 

Produtos

banner_facebook_web