Autenticação






Julho 2012

The Tall Ships Races Lisbon 2012

The Tall Ships Races Lisbon 2012As “The Tall Ships Races” são Regatas organizadas todos os anos pela Sail Training International, com vista a promover a formação e o treino de mar, assim como a convivência intercultural junto dos jovens de todo o mundo. O grande objectivo é embarcar Jovens na frota dos Grandes Veleiros e proporcionar-lhes experiências de Treino de Mar sem igual. Lisboa prepara-se para receber as “The Tall Ships Races Lisbon 2012” de 19 a 22 de Julho, sendo esperados ao longo dos quatro dias, cerca de 60 Tall Ships, 5.000 tripulantes, em representação de 49 países.

O grande objectivo é embarcar Jovens na frota dos Grandes Veleiros e proporcionar-lhes experiências de Treino de Mar sem igual.
Lisboa prepara-se para receber as “The Tall Ships Races Lisbon 2012” de 19 a 22 de Julho, sendo esperados ao longo dos quatro dias, cerca de 60 Tall Ships, 5.000 tripulantes, em representação de 49 países.

Para 2012, a estimativa de potencial mediático é de 3,6 Milhões de Euros, tendo sido este número calculado de acordo com os seguintes pressupostos:
• Retorno mediático do evento em 2006;
• Ajustamento ao mercado dos patrocínios em Portugal no ano 2012;
• Campanha publicitária com duração aproximada de 20 dias em diversos meios.

Em 2006, ano do 50º aniversário, os veleiros que integravam as “The Tall Ships Races”, passaram pela capital portuguesa. O evento teve uma expressão relevante na Comunicação Social, tendo sido veiculadas 176 notícias, que representaram um impacto financeiro de 1.223,062 Euros.

As “The Tall Ships Races Lisbon 2006” em números:
• 86 Tall Ships 
• 6.237 Tripulantes de 49 países
• 4.000 Jovens com menos de 26 anos
• 1 Milhão de visitantes em Lisboa
• 1002 Media a nível mundial

Alguns factos associados às “The Tall Ships Races”:
• 75% do público que visita os eventos fá-lo acompanhado da sua família; 
• 95% dos espectadores deslocaram-se especificamente para ver os Grandes Veleiros;
• Aproximadamente 40% dos visitantes passa tanto tempo a ver os Grandes Veleiros como a ver e a participar nas actividades promovidas no Village;
• Mais de 50% dos visitantes compra pelo menos uma peça do merchandise oficial durante o evento (excluindo comida e bebida);
• Os gastos do público geram um retorno local entre os 20 e os 35 milhões de euros por porto;
• 94% dos visitantes afirmam voltar a visitar um evento similar no futuro e 98% recomendaria o evento aos amigos.

O acolhimento dos Tall Ships em 2012 pela Aporvela, representante em Portugal da Sail Training International (STI), detentora de um vasto historial na área dos grandes acontecimentos náuticos e com fortes responsabilidades na formação de novos valores, atendendo ao trabalho desenvolvido ao longo dos anos com as Caravelas Bartolomeu Dias, Boa Esperança e Vera Cruz, é sem dúvida um marco histórico de grande impacto nacional e internacional.

O grande objectivo para 2012 é que o evento, a chegada e estadia dos grandes veleiros a Lisboa não seja apenas uma escala, mas sim uma experiência gratificante, enriquecedora e única, dando a conhecer a nossa História e os nossos feitos náuticos.

Mar, vento, liberdade, trabalho em equipa, responsabilidade, navegação e interculturalidade: uma aventura inesquecível!
Para o público esta será uma oportunidade de assistir a um espectáculo único bem como de poder visitar os Tall Ships.
Ler mais/Fonte: Portal Aventura

 

Novo veleiro 65 pés One Design na Volvo Ocean Race

Novo veleiro 65 pés One Design na Volvo Ocean RaceO CEO do evento, Knut Frostad, revelou hoje em Lorient os detalhes do novo barco de alta performance que será utilizado nas próximas duas edições da regata à volta do mundo. Os objectivos principais do novo modelo de barco são reduzir os custos de organização de uma campanha competitiva e aumentar o número de veleiros participantes, de 8 a 10, nas futuras edições da prova. O barco será um monocasco de 65 pés (19,8 metros) estritamente One Design, com desenho de Farr Yacht Design, e construído por um consórcio de estaleiros da Inglaterra, França, Itália e Suíça, e tripulado por 8 velejadores.

Sob o acordo entre a Volvo Ocean Race e o consórcio, serão construídos um mínimo de oito barcos para as próximas edições da regata. Os trabalhos já iniciam em Julho e o primeiro veleiro da nova classe estará pronto em Junho de 2013, mais de um ano antes da largada da próxima Volvo Ocean Race no segundo semestre de 2014, em Alicante, Espanha. «Este incrível novo design, e o acordo de construir pelo menos oito exemplares, irá colocar o evento numa nova era.», disse Frostad acrescentando que isto representa um grande passo para um evento que nunca teve medo de seguir em frente nos seus 39 anos de história. «A escolha de um veleiro One Design proporciona um grande avanço nos planos das próximas regatas e coloca-nos numa melhor situação para seguirmos em frente com o evento», disse ainda Frostad. Apesar de o novo veleiro ter 1,5 metros a menos que os actuais VOR 70, será quase tão veloz. O barco será desenhado e construído com as mais recentes inovações em termos de vídeo, comunicação via satélite e produção de conteúdos de forma a melhorar ainda mais o trabalho do tripulante-repórter a bordo, uma novidade criada em 2008-2009. O acordo agora anunciado foi possível depois de a Volvo Ocean Race S.L.U ter garantido financiamento para custear o processo de design e construção dos barcos nos prazos apontados. O evento é propriedade da Volvo Car Corporation e do Volvo Group, que em conjunto reafirmaram seu compromisso com a regata antes da largada em Aalicante, Espanha, em Novembro de 2011. «Nós da Volvo Cars apoiamos totalmente estas iniciativas, que acreditamos irão assegurar o futuro do evento em todos os níveis e manter a bases históricas da Volvo Ocean Race, como um dos eventos mais importantes na vela oceânica para os melhores velejadores do mundo.», afirmou Stefan Jacoby, CEO da Volvo Car Corporation, com o apoio de Olof Persson, CEO do Volvo Group. «A Volvo Group acredita que os planos apresentados por Knut e sua equipa irão elevar o evento para um novo patamar com o desenho inovador dos novos barcos, que irá permitir manter a dianteira da vela oceânica, enquanto nos dará hipótese de construir uma frota ainda maior. Estou orgulhoso de confirmar a minha absoluta confiança que a regata está a seguir a melhor rota para um futuro brilhante.», declarou Persson.

Os novos veleiros serão vendidos pela empresa inglesa Green Marine Ltd, que ficará encarregada também de completar os detalhes do barco. O estaleiro francês Multiplast, Persico S.p.A na Itália e Decision S.A na Suíça irão construir os diferentes componentes de cada embarcação. «Para nós é uma grande honra e um grande desafio estar envolvido neste projecto e nesta regata que já é parte da nossa herança marítima. É uma oportunidade de trabalhar em conjunto com os melhores profissionais na indústria náutica, incluindo outros estaleiros e designers. Estamos prontos para criar algo muito especial.», afirmou Marcel Müller, director da Green Marine. O processo irá reduzir significativamente a barreira para competir na Volvo Ocean Race e suportar os custos de organizar uma campanha competitiva e o CEO Frostad acredita que isto será possível a um custo inferior a 15 milhões de Euros. O projecto ‘chave na mão’, referente ao custo dos barcos, incluindo as velas para o periodo de treinos e da própria regata, será de 4,5 milhões, enquanto outros custos serão significativa menores devido ao conjunto de empresas náuticas envolvidas. «Nosso objectivo neste processo é tornar mais fácil e menos caro montar uma campanha para a Volvo Ocean Race. Estes novos barcos construídos em consórcio é o nosso primeiro grande passo para atingir o nosso objectivo.» acrescentou Frostad «Os novos barcos One Design têm um visual fantástico e serão confiáveis. Estamos a caminhar para uma nova era nesta regata, com um futuro mais emocionante e mais seguro.», disse ainda Frostad. O presidente da Farr Yacht Design, Patrick Shaughnessy, disse que sua equipa está bem colocada para assumir o desafio de desenhar o novo barco: «Estamos super entusiasmados com o desafio, e penso que teremos as capacidades para cumpri-lo. Estivemos envolvidos com a Volvo Ocean Race e com a Whitbread Race por mais de 20 anos e é uma honra fazer parte desta novo futuro».
Ler mais/Fonte: News Sport Events

 

Pesca rende mais nos Açores

Pesca rende mais nos AçoresA pesca descarregada nos portos dos Açores nos primeiros quatro meses deste ano rendeu, a preços de lota, 14,4 milhões de euros, mais 17,7 por cento do que no mesmo período de 2011. Segundo revelou o Serviço Regional de Estatística (SREA), de Janeiro a Maio, o volume de pescado entregue para primeira venda nas ilhas registou um aumento de 27 por cento, para 4,6 mil toneladas.

Na ilha de S. Miguel, verificou-se neste período um aumento da pesca descarregada em lota de 2,2 mil para 2,7 mil toneladas, verificando-se no Faial uma subida de 291 para 779 toneladas. O Pico registou também um acréscimo significativo no volume de pescado entregue para primeira venda – de 198 para 421 -, enquanto na Terceira se verificou um aumento modesto, de 403 para 423 toneladas, indicou o SREA.
Ler mais/Fonte: Portos de Portugal

 

Produtos

banner_facebook_web