Autenticação






Julho 2013

Estilista Celsus cria prancha de surf ecológica portuguesa

Estilista Celsus cria prancha de surf ecológica portuguesaCelsus alia-se à Amorim CorK Composites e à White Banana (marca que desenvolve material de surf) para criar uma prancha de surf moderna e ecológica. O seu objetivo é promover o produto nacional através da cortiça, do design e da moda, tendo o mar como pano de fundo.

Com materiais de excelência no seu fabrico e sobretudo ecológicos, este artigo prima pela qualidade e inovação. Para além da cortiça, material completamente natural, renovável e biodegradável, o uso do EPS no núcleo, da resina ecológica BIO-RESIN e do aproveitamento de bambu para as quilhas fazem desta uma prancha 100% ecológica, com um acabamento manual, cuidado e personalizado.

A cortiça cedida – CORECORK – pela Amorim Cork Composites para esta criação oferece uma nova estética ao produto, assim como contribui para a absorção da trepidação causada pelas ondas na prática do Surf. A costa portuguesa vai andar bem vestida este verão, podendo o produto navegar por esses mares fora. A linha de pranchas de surf do criador Celsus está a ganhar forma e já existem contactos interessados na divulgação deste projeto. A grande vantagem destas pranchas encontra-se no facto de poderem ser feitas por encomenda, à medida e gosto do cliente, tal como um acessório de moda personalizado.

O modelo encontra-se já em exposição na loja PortoSigns, no coração da cidade do Porto, e pode ser adquirido mediante reserva. Agora, outros mares, outras paragens aguardam esta prancha, sendo uma delas a ISPO Munich 2014, a maior feira do mundo de desporto e moda.
Ler mais/Fonte: shoppingspirit.pt

 

NAU XXI, uma revista nacional dedicada ao mar

NAU XXI, uma revista nacional dedicada ao mar Chama-se Nau XXI, foi criada nos Açores e é apresentada como uma revista nacional inteiramente dedicada aos assuntos do mar, na sua vertente económica, política, lúdica e até desportiva. "Não se trata de uma revista científica", esclareceu Ricardo Serrão Santos, pró-reitor da Universidade dos Açores e diretor desta nova publicação mensal, durante uma conferência de imprensa realizada hoje na cidade da Horta, ilha do Faial.

Segundo explicou, esta revista é um projeto comercial, destina-se ao "grande público" e pretende mostrar a Portugal que "o mar é o caminho" para o futuro, procurando "mobilizar a sociedade no otimismo". Com 146 páginas e um grafismo apelativo, esta nova publicação mensal assume-se como uma "revista alegre e bem-disposta", que pretende publicar entrevistas, reportagens, ensaios e crónicas, com recurso ao "jornalismo independente e atual", sobre todos os temas ligados ao mar.

"Num momento em que o mar é apresentado como um desígnio nacional, a Nau XXI quer ajudar a entender como é que esse discurso tem aplicação prática", sublinha a editora Sigma, responsável por esta publicação. A primeira edição, já disponível nas bancas, pelo preço unitário de 5 euros, dá destaque aos recursos existentes no vasto território marítimo do país, quase quatro milhões de quilómetros quadrados, e tenta saber como é que Portugal os pode utilizar.

"Havia um vazio nesta área a nível nacional", justificou Ricardo Serrão Santos, admitindo, no entanto, que esta publicação surge num período conturbado da económica nacional, mas que espera, ainda assim, que venha a ter sucesso. A Nau XXI tem como diretora de redação a jornalista Isabel Lucas, que já esteve ligada à RTP, Visão, Expresso, Público e Diário de Notícias, e conta com a ajuda de mais de duas dezenas de colaboradores, colunistas e fotógrafos.
Ler mais/Fonte: acorianooriental.pt

 

Exposição fotográfica celebra 40 anos da Volvo Ocean Race

Exposição fotográfica celebra 40 anos da Volvo Ocean RacePara comemorar o 40º aniversário da Volvo Ocean Race, a organização do maior evento de vela oceânica do mundo promove a exposição das fotos que marcaram a história da regata. De 14 de junho até fevereiro de 2014, a Volta ao Mundo exibirá aos visitantes as 40 imagens contando um pouco da aventura que, desde a sua estreia em 1973 batizada de Whitbread, continua sendo o maior teste de habilidade, trabalho em equipa e resistência.

As fotos da exposição foram cedidas por diversas fontes, como velejadores, fãs, repórteres de mídia, fotógrafos náuticos e até de perfis do Facebook, após uma campanha na página oficial da Volvo Ocean Race. E olhando o acervo de imagens dá para perceber que muita coisa mudou nos 40 anos da regata. As calças e camisas já foram substituídas por equipamentos de alta tecnologia. Os barcos espaçosos de madeira deram lugar a pequenos casulos de fibra de carbono. Mas, vale uma ressalva: as fotos deixam claro que a essência da Volta ao Mundo é a mesma. As partidas dos velejadores para a viagem e os reencontros nas cidades-sede ainda emocionam. Sem falar no esforço e no cansaço das tripulações que continuam iguais na comparação entre os materiais.

Alguns dos atletas retratados na exposição são verdadeiras lendas da vela oceânica como como Conny van Rietschoten, Sir Peter Blake, Skip Novak e Eric Tabarly As fotos no Museu da Volvo Ocean Race também retratam fãs, familiares de velejadores e outras coisas relacionadas com o universo da Volta ao Mundo. "A Volvo Ocean Race tem sempre a marca da coragem, do compromisso e da confiança entre os participantes, que se ajudam entre si. As imagens aqui são prova disso", disse Knut Frostad, CEO da Volvo Ocean Race.
Foto: Rick Deppe/PUMA Ocean Racing/Volvo Ocean Race
Ler mais/Fonte: revistaportuaria.com.br

 

 

Produtos

banner_facebook_web