Autenticação






Novembro 2011

Lancha de Pilotos «João Vaz Corte-Real» capa da revista Maritime Journal

Lancha de Pilotos «João Vaz Corte-Real» capa da revista Maritime Journal A prestigiada revista internacional Maritime Journal escolheu para capa uma foto da lancha de Pilotos "João Vaz Corte-Real" ( Velas), constando também no seu interior um artigo sobre as quatro lanchas que estão a ser construídas no estaleiro irlandês Safehaven Marine, lanchas destinadas aos portos de Velas, Horta, S. Roque e Flores.
Ler mais/Fonte: O Porto da Graciosa

 

 

 

 

 

 

Atlânticoline alterou especificações dos novos navios para o grupo Central

Atlanticoline Os novos barcos que vão operar no Grupo Central dos Açores serão maiores do que o previsto, mas também terão motores mais lentos. O novo caderno de encargos reduz em dois nós a velocidade de serviço dos barcos e também a potência dos motores. A Atlânticoline justifica as alterações com a necessidade de poupar combustível.

O primeiro concurso ficou deserto, por isso a Atlânticoline, a empresa pública que gere o transporte marítimo, alterou as regras. A velocidade máxima dos barcos, que antes deviam atingir 16 nós e meio a 100 por cento das máquinas, foi reduzida em apenas meio nó, alegadamente para poupar combustível. Carlos Reis, presidente do Conselho de Administração da Artlânticoline, reconhece que a maior redução verifica-se na velocidade de cruzeiro dos novos barcos, que baixa de 16 para apenas 14 nós. A potência dos novos barcos poderá ser também inferior. O primeiro caderno de encargos determinava que os barcos deveriam operar, a maior parte do tempo, entre 85 a 100 por cento da sua capacidade máxima.

 

Uma exigência agora reduzida para menos de metade da potencia a 80% do tempo. Carlos Reis diz que não é na velocidade, mas sim nas manobras, que é preciso maior potência. Alterações técnicas que, a juntar ao aumento em três metros de comprimento nos novos barcos, deverá torná-los mais lentos. Os atuais cruzeiros, recorde-se, atingem velocidades na ordem dos 12 a 13 nós.
Ler mais/Fonte: RTP Açores

 

 

Tavira espera que obra do porto de pesca esteja no PIDDAC 2012

Gilao-450x300A Câmara Municipal de Tavira aguarda com expectativa que a obra do porto de pesca da cidade esteja incluída no PIDDAC (Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central) para o próximo ano, com verba suficiente para que possa ser adjudicada a empreitada.

Jorge Botelho, presidente da Câmara de Tavira, diz ter «informações seguras» de que a obra está contemplada no PIDDAC, mas desconhece com que montante, uma vez que esse programa, parte integrante do Orçamento de Estado, ainda não foi divulgado pelo governo.

 

«Foi uma luta muito grande que tivemos com o anterior governo, para que fizesse a abertura do concurso público para esta obra», da responsabilidade do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), disse Jorge Botelho ao Sul Informação. Mas o concurso fez-se e agora «estamos na fase de adjudicação. Há uma empresa selecionada, mas é preciso que este governo confirme o avanço da obra, inscrevendo dinheiro para ela no PIDDAC», acrescentou o autarca.
Ler mais/Fonte: Sul Informação

 

 

Produtos

banner_facebook_web