Autenticação






Novembro 2016

RC44 Championship Tour: novo formato do circuito anunciado para 2017

RC44 Championship Tour: novo formato do circuito anunciado para 2017Uma década desde o seu lançamento, a RC44 Championship Tour anuncia um novo formato do circuito, para a temporada de 2017. De referir que, no modelo atual, realizavam-se 1 dia de treinos, 1 dia de match racing e 4 dias de fleet racing e passará a ter 1 dia para match racing e treinos e 4 dias de fleet racing! Com três ou quatro regatas por dia, num evento de quatro dias, o RC44 Championship Tour fica, com igual número regatas, mas reduz um dia em cada evento. Esta alteração, significativa ao nível do calendário, facilitará a gestão das agendas como também reduzirá custos.

A temporada de 2017 será composta por cinco eventos europeus e, mais uma vez, o Clube Naval de Cascais, considerado pela classe como o “sailor’s favourite stop”, está na rota do RC44 Championship Tour, com o evento agendado para 28 de Setembro e que decorrerá até 1 de Outubro.

Idealizado por Russel Coutts, desenhado pelo arquiteto naval esloveno Andrej Justin, o RC44 é uma embarcação de grande performance, um modelo ‘One-design’ que assegura que todos os barcos sejam rigorosamente iguais na sua construção. É veloz, é um monotipo muito inventivo, com uma parte da popa retrátil, a quilha-bulbo também é amovível e o mastro divide-se em três partes o que permite o transporte em contentores de 40 pés, facilitando a logística.
Ler mais/Fonte: nauticapress.com

 

Navio ‘Funchal’ chegou há 55 anos ao porto que lhe deu o nome

Navio ‘Funchal’ chegou há 55 anos ao porto que lhe deu o nomeA 5 de Novembro de 1961, há 55 anos, o paquete ‘Funchal’ dobrava o promontório do Garajau e dava-se a mostrar, num domingo chuvoso, aos milhares de pessoas que o aguardavam na baía da cidade que lhe deu o nome.

O novo navio da frota mercante portuguesa, encomendado pela Empresa Insulana de Navegação (EIN) a um estaleiro dinamarquês, irrompia, assim, na enseada do Funchal, rasgando águas atlânticas, naquela que foi a sua primeira escala na carreira entre Lisboa e as então denominadas ilhas adjacentes, Madeira e Açores.

Lançado à água na Dinamarca a 10 de Fevereiro de 1961, o navio só teve viagem inaugural nove meses depois, com partida do porto de Lisboa a 4 de Novembro, com 206 passageiros, escalando o Funchal, Ponta Delgada e Angra do Heroísmo. No Funchal, recolheu mais 113 viajantes.

No dia da chegada ao território madeirense, o DIÁRIO de Notícias estampava “O ‘Funchal’ na sua primeira viagem chega hoje ao nosso porto” e o Jornal da Madeira anunciava “’Funchal’ - nova cidade transatlântica visita hoje a Madeira”. O navio tinha casco preto, superestrutura branca e chaminé amarela rematada por uma lista preta. “Lembro-me desse dia”, recorda Rui Camacho, que se tornou passageiro frequente na ligação com São Miguel, ilha onde o pai geria a Fábrica de Tabacos Estrela e para onde se dirigia todas as férias de Verão, até 1972. “Encontrava-me na cidade, pois a hora da chegada tinha sido anunciada pelos jornais e milhares de pessoas fixavam, então, o olhar para a zona do Garajau, à espera que o ‘Funchal’ aparecesse”, relata, em declarações à agência Lusa.

Rui Camacho narra que o navio “vinha todo embandeirado” e “quando apareceu foi um sucesso, aclamado pelas pessoas e saudado pelas embarcações que apitavam”. O DIÁRIO de Notícias indicava, então, que os administradores da EIN, o ministro das Obras Públicas do Governo de Oliveira Salazar, Eduardo de Arantes e Oliveira, que viajava no navio, e as autoridades regionais estiveram presentes na inauguração, que terminou com “um beberete realizado no salão de jantar da ‘Turística A’”. A inauguração foi simples e contida. Na edição do dia anterior o matutino indicava mesmo que, devido ao “momento nacional” criado pela eclosão da guerra colonial em Angola e pela anexação de Dadrá e Nagar Haveli pela União Indiana (territórios que desde 1779 faziam parte do Estado Português da Índia), não se realizaria a bordo “qualquer acto festivo em comemoração da viagem inaugural”.
Ler mais/Fonte: dnoticias.pt

 

Porto de Lisboa na Maior Aliança Marítima do Mundo

Porto de Lisboa na Maior Aliança Marítima do MundoLisboa será o único porto nacional incluído num dos serviços da maior aliança marítima do mundo – Ocean Alliance - que integra o Grupo CMA CGM, COSCO Container Lines, Evergreen Line e Orient Overseas Container Line, com início da operação em abril de 2017.

O Terminal da Liscont, em Alcântara receberá o serviço designado por AMERIGO, um dos seis da rota transatlântica TAT1, sendo o Porto de Lisboa a última escala europeia à exportação, cuja rota é a seguinte: Malta – Livorno – Génova -Fos – Barcelona – Valência – Lisboa – Nova Iorque – Norfolk – Savannah – Miami – Algeciras – (Valência) – Malta.

De acordo com José Carlos Santos, Diretor Geral da CMA CGM em Portugal “É com enorme prazer que a CMA CGM Portugal vê reconhecidos os seus esforços para ter Portugal contemplado como porto de escala de um dos serviços da Ocean Alliance . A Ocean Alliance, onde a CMA CGM é líder, é uma aliança que se apresenta como líder de mercado em praticamente todos os grandes eixos mundiais em número de escalas e de capacidade disponibilizada.

O serviço Amerigo retorna a Portugal com uma escala direta, após praticamente 10 anos de ausência, respondendo a uma necessidade de diversificação requerida pelo mercado.” A Aliança, que tem na sua base um acordo assinado para 10 anos, é apoiada por uma frota altamente eficiente de 323 navios com capacidade total de cerca de 3,5 milhões de TEU´s, cumprirá os requisitos das cadeias de fornecimento globais, proporcionando maiores frequências de navegação, melhores tempos de trânsito e uma maior cobertura mundial.

O Grupo CMA CGM terá a maior quota da aliança, com uma frota de 119 navios e uma participação de 35%. O Grupo não só oferecerá mais portos, como mais ligações diretas e melhores tempos de trânsito, mas também está empenhado em fornecer serviços e qualidade de transporte inigualáveis através de melhores operações e soluções de negócios. Com a sua experiência em serviços de reefer e em carga out-of-gauge, a CMA CGM pretende assim continuar a oferecer a melhor solução de transporte personalizado.
Ler mais/Fonte: portodelisboa.pt

 

 

Produtos

banner_facebook_web